domingo, junho 09, 2013

Terroristas das FARC reúnem-se com apoio do Governo Tarso e o nosso dinheiro dos impostos

A mídia brasileira, inclusive gaúcha, não deu um pio acerca deste famigerado encontro em Porto Alegre. CLIQUE AQUI para saber mais. 

Entre os dias 24 e 26 de maio, a Câmara de Vereadores de Porto Alegre-RS serviu de palco para mais uma manifestação pró-FARC no “Foro pela paz na Colômbia”, promovido pela “Marcha Patriótica-Capítulo Brasil”, uma ONG das FARC que realiza o trabalho de massas. O evento contou com a presença de membros das FARC no Brasil, inclusive com status de “exilados”, como é o caso de Francisco Cadena Collazos, cognome “Oliverio Medina”, mas com esse evento em Porto Alegre tomei conhecimento de que há mais um exilado e é evidente que se trata de um membro das FARC.
O governo estadual do PT do RS pagou passagens e considerou hóspedes oficiais os mais representativos participantes do evento.
Na tarde do dia 25 estava programada uma vídeo-conferência entre os participantes do evento e os “negociadores da paz em Havana”. Entretanto, os “negociadores” ouvidos foram apenas os das FARC, evidenciando que não há interesse na paz da Colômbia, e sim respaldar e fortalecer politicamente o bando terrorista.
Também é importante notar que esse encontro contou com a presença de uma deputada do Euskal Erría, o partido político do bando terrorista ETA. 

A reunião de terroristas e simpatizantes das FARC, Colômbia, que saiu na Câmara de Vereadores de Porto Alegre nos dias 24, 25 e 26, foi apoiada decididamente pelo governo Tarso Genro. 
Tarso mandou pagar as passagens de dezenove integrantes de movimentos sociais e partidos de esquerda da América Latina.
Por videoconferência, desde Havana, dois terroristas das FARC falaram com os participantes da reunião.
Não satisfeito, o governador baixou decreto, considerando-os hóspedes oficiais do Estado. 
http://1.bp.blogspot.com/-JKFWqOAz-QE/UaZcr57adpI/AAAAAAAAY-0/sHhTdXdb6yE/s640/50.JPG

As relações entre o PT e as FARC são antigas e notórias, envolvendo até mesmo dinheiro do narcotráfico colombiano para o pagamento de campanhas eleitorais do Partido. Documentos secretos da ABIN, do próprio governo, desvendaram a cumplicidade e continuam causando escândalo. Em 2002, as FARC alcançaram US$ 5 milhões para as campanhas petistas. 
CLIQUE AQUI para examinar reportagem de Veja sobre o dinheiro e as relações carnais entre os terroristas das FARC e o PT.
Fonte:  Políbio Braga

Nenhum comentário:

Postar um comentário